Retrospectiva

Hoje analisando algumas postagens e lembranças de quando namoramos (se é essa mesma a palavra), pude concluir duas coisas. A primeira é ... nem tudo foi perda de tempo. A segunda é que tudo que se perdeu era precioso demais para se dilapidar. Poderíamos ter formado uma família, termos sido felizes, não fossem os poréns do orgulho besta e do desvio de caráter. Mas tudo isso seria possível apenas, se fosse um sonho sonhado junto. Não posso negar que sinto sua falta, mas nos últimos meses em que convivemos, me faltavam motivos para amar e para permanecer ao seu ...

Você Bel Ami!!

Eu já passei por muitas fases... ser a melhor filha, melhor aluna, melhor namorada, melhor esposa, melhor mãe... A pior filha, pior aluna, pior namorada, pior esposa, pior mãe... Tudo isso me fez crescer e amadurecer, ficar mais forte e imponente... Já fiz tanta coisa na vida, que se fosse escrever uma autobiografia, seria mais uma coleção de livros que alguém, quem sabe se interessasse em adquirir, seria mais por curiosidade sobre a vida alheia, ou para pagar alguma penitência mesmo... Mas isso não é uma meta, nem uma ideia que eu queira expor, é só meu ego ...

Dias chuvosos… lembranças… você…

O dia hoje está chuvoso, como aqueles que eu amava quando estava aí… perto… junto… Agora o que tenho são só os dias chuvosos e as lembranças, essas que fazem meu peito sufocar de tanta saudade, dor, anseio, raiva, ódio… Em algum momento comentei contigo sobre a saudade e lembra o que me falou em meio a risos, “saudade é bom”… Ah que dor ler isso, Porra tu não entende mesmo! Queria poder trocar de lugar contigo apenas uma vez, uma única vez bastava. Sim, bastava para tu entender o que sinto quando acordo pela manhã bem cedo contigo já invadindo ...

Fragmentos sobre a tentativa de parar de pensar em você!

Bebi café gelado pela última vez, emagreci um quilo, a gasolina quase acabou no meio da Vicente Machado. Ouvi uma história de amor na música do Nando Reis e lixei a unha do mindinho esquerdo. Escolhi tênis para usar.  Apaguei aquele e-mail que nunca li e não era spam. Pensei em você algumas vezes, mas não quero falar disso. Assisti a um documentário sobre crianças psicopatas e descobri uma banda nova por sugestão do youtube. Planejei viajar para a praia e comprei uma canga pela internet. Enviei um whatsapp para você. Tomei remédio pontualmente ao meio dia, ...

A vontade inútil de tentar parar o tempo…

O que é esse sentimento que tenho por ti. Por quê tu não sai dos meus pensamentos. Passo os dias desejando ver-te, beijar-te, tocar-te, sentir sua respiração no meu ouvido, sua barba sendo arrastada delicadamente no meu pescoço, enquanto  todos os pelos do meu corpo sucumbem a um arrepio orgástico. O que é esse sentimento... Me lembro quando sentia atração por ti. Me lembro quando sentia necessidade de estar perto de ti. Me lembro exatamente de quando sentia tesão quando tu tocava  em mim. Lembro ainda de só te desejar fisicamente... E agora! Agora o ...

Minha mulher

Ela vem do céu Não dá aviso Mas assim que é bom Pega-me desprevenido   Alguns a acham prejudicial Outros somente frontal Até mesmo torrencial Eu não vejo nada de mal   De extrema refrescância De intensa felicidade Meu Deus, mais que bondade   Falta só apresentá-la Prazer, seu nome é Chuva, chuva e sempre chuva.   Autor: Guilherme Marques

Solidão

Ouço o barulho do silêncio inquietante Vejo o brilho da escuridão Sinto a pulsação de óbitos Saboreio a doce melancolia   Mesologia independe Cronologia muito menos A única relação Eu e ninguém   Pior sentimento do mundo Pois nele Há a ausência de tudo Menos de mim   Sou eu Eu Eu E mim   Autor: Guilherme Marques

Amicitia (amizade)

Amizade verdadeira Não vi A tal da passageira Senti   Tantas faces Tantos jeitos Não me apego a nenhum Nem procuro o perfeito   Talvez um dia Ou talvez nunca Eu descubro Essa realidade   Verdade ou mentira Eterno ou momentâneo Não importa a palavra Eu quero a tal da Amizade   Autor: Guilherme Marques

Notas sobre Ela.


Paixões itinerantes

Gosto de andar de ônibus. Não nos horários de rush. Me divirto com as conversas alheias. Crio estórias dos anônimos que chegam e saem sem serem quase vistos. Várias vezes me apaixono. Algumas paixões são duradouras. Duram até o próximo ônibus. Algumas são curtas, como uma punheta de pau mole. E ontem tive a mais curta de todas. Sentou ao meu lado, vestidinho curto, subida na uf. Ela e amiga começam a conversar, ela tira a Veja e cita uma coluna do Constantino. Logo levanta e no seu colo Olavo de Carvalho se mostra. Doeu. Me senti traído na minha paixão ...